4-720x406

Tudo que você precisa saber sobre equipe de UX

As empresas finalmente começaram a levar a UX a sério. À medida que mais e mais designers e pesquisadores de UX são contratados para melhorar os produtos, precisamos pensar em como melhor organizá-los. Como é a estrutura ideal da equipe de UX? Hoje respondemos a todas as suas perguntas!

Quais são as três principais disciplinas do UX?

Vamos começar com o básico. Se você mergulhou no reino da experiência do usuário, provavelmente conheceu pessoas de vários campos diferentes. Quando alguém fala sobre UX, eles provavelmente querem dizer uma união de três disciplinas: UI Design, UX e Pesquisa.

UX (Experiência do Usuário)

Os especialistas em experiência do usuário primeiro desejam entender os objetivos de usuário e de negócios do produto. Ou seja, é preciso entender a fundo os problemas que estão resolvendo.

Eles também observam o que o usuário faz antes, durante e depois de ter contato com o produto, e o por quê. Eles criam modelos e wireframes e contam com o feedback do usuário para provar ou basear suas ações.

A fim de evitar preconceitos, primeiro você quer pensar em fluxos antes de telas e cores.


Ferramentas típicas de design UX: personas de usuários, jornadas de usuários, fluxos de usuários. O design UX lida com funcionalidades, usabilidade, navegação, arquitetura de informação e interfaces.

Design da interface do usuário (UI)

O design da interface do usuário (UI) envolve a aparência do produto. O design da interface do usuário resulta na interface de usuário final perfeita que será codificada.

Mestres deste ofício sabem tendências e padrões de design, ao mesmo tempo em que mantêm a viabilidade tecnológica.

UI envolve tudo sobre o visual e a estética de interfaces digitais. Eles selecionam padrões, ícones, formas, animações, transições, sons, tudo com base em sua experiência profissional e tendências do setor, mas levando em conta as necessidades do usuário e do cliente.

Pesquisa UX

O UX engloba um ambiente holístico no qual não apenas o produto, mas o usuário também existe. A pesquisa da experiência do usuário é a chave para aprender sobre isso. O pesquisador determina qual método de pesquisa obterá a evidência desejada para uma hipótese ou resposta a uma pergunta e depois a executará, com testes de usabilidade, entrevistas com o usuário, etc.

Os pesquisadores precisam coletar dados sobre o mercado, as necessidades e os comportamentos dos usuários, por meio de pesquisas de campo.

Eles têm uma ampla gama de ferramentas que podem ser usadas.
O nível de envolvimento das diferentes disciplinas pode variar de acordo com o produto, a empresa ou a indústria, bem como a estrutura da equipe UX. Alguns outros papéis e disciplinas às vezes precisam ser incluídos também, como copywriter de UX, recrutador de pesquisa, etc.

Que combinações de disciplina existem?

O design do produto e da experiência do usuário em si, exige tarefas diferentes. Mas quantas pessoas devem formar uma equipe? E como eles devem dividir responsabilidades?

Bem, já dissemos isso antes e diremos novamente: o UX é um esporte coletivo. A maioria das tarefas também se conecta ao trabalho de outra pessoa. As informações devem fluir muito bem e todos devem estar cientes dos últimos desenvolvimentos. Geralmente, faz sentido mesclar determinados papéis. Pessoas usando mais de um chapéu podem ter muitas vantagens às vezes. Então, quais são os modelos mais comuns?

A) Os heróis solitários

Você poderia chamar isso de a opção mais simples. Todo mundo tem a sua própria coisa para cuidar, certo? Nesse cenário, os pesquisadores apenas coletam dados, os designers de UX só fazem wireframes, estruturas e conceitos de alto nível, com base em dados da pesquisa, enquanto os UI Designers cuidam do design perfeito, baseado na entrada de pesquisadores e UXers.

Prós: Responsabilidades específicas para cada um e tempo suficiente para cada um desenvolver sua atividade.

Contras: O conhecimento pode se perder. A gestão é mais complexa, pois exige lidar com várias pessoas.

B) Dupla dinâmica: UX + UI, pesquisa separada

Em muitos casos, as mesmas pessoas responsáveis ​​pelo UX também cuidam da interface do usuário. Os pesquisadores ainda trabalham separadamente, concentrando-se apenas na coleta de dados.

Como os designers ainda confiam em insights do usuário a partir de pesquisas, nessa estrutura de equipe de UX, o design da experiência do usuário se torna uma responsabilidade compartilhada entre todos da equipe.

Prós: O tempo suficiente para a pesquisa adequada ainda permanece. Os pesquisadores podem dar um feedback imparcial sobre o design, a informação entre o UX e o UI não se perde e o designer pode participar mais efetivamente do conceito.

Contras: as tarefas exigidas por essas disciplinas podem sobrecarregar os designers.

C) O inverso: design UX + Pesquisa juntos, design de interface do usuário separado

Ao contrário do cenário anterior, os pesquisadores também são responsáveis ​​pelo design UX. Então, eles coletam dados, com base nos quais, eles criam personas, constroem jornadas de usuário, projetam fluxos e wireframes.

Enquanto isso, o designer de interface do usuário cuida do lado visual: criando temas e quadros de tendências. Depois de todo esse planejamento, o UI designer apresentará o design perfeito.

Prós: As descobertas da pesquisa podem ser diretamente integradas aos wireframes, etc, sem a influenciado de cores ou elementos de design gráfico. Os UI designers ​​têm mais tempo para experimentar diferentes ideias de design visual.

Contras: Fornecer trabalho suficiente aos UI designers para fazer antes mesmo da fase da interface do usuário começar. Risco de falta de comunicação para transferir informações do UX para a interface do usuário permanece. Uma pesquisa feita pelo designer pode ser influenciada pelo próprio design.

D) O exército de um homem: UX + UI + pesquisa todos juntos

Esse cenário geralmente ocorre em pequenas empresas com recursos insuficientes para contratar pessoas separadas ou durante mini-projetos. Esses malabaristas, chamados Product Designers, cuidam de tudo relacionado à experiência do usuário.

Prós: uma visão geral de tudo que acontece e das informações disponíveis. Eles podem programar seu horário com base no local onde o “maior incêndio” ocorre no momento.

Contras: Malabarismo com todas essas áreas de foco diferentes pode ser um desastre. Normalmente, o tempo não será suficiente para pelo menos uma das funções. Além disso, a criação pode ser tendenciosa em todos os diferentes estágios.

Qual combinação funciona melhor?

Tudo o que podemos falar aqui é a prática que nós seguimos. A Lorem Y experimentou muito antes de encontrar a nossa própria estrutura de equipe ideal.

Nosso objetivo é ser capaz de fornecer serviços de design de produto de longo prazo para os clientes. O processo de design ágil funciona melhor em um cenário como esse. Então, nossos designers cuidam da UX e da UI também, enquanto nossos pesquisadores se concentram apenas na coleta de dados.

Por quê?

Eliminamos a dor da transferência de informações entre responsáveis ​​separados por UX e UI, deixando tempo suficiente para pesquisa. Acreditamos que nada é bom o suficiente até ser comprovado. Muitas equipes simplesmente não tem tempo suficiente para fazer uma pesquisa adequada. Não queremos que isso aconteça em nossa equipe.

Quando o UX e a UI se mesclam em um único profissional, normalmente o tempo de design é reduzido para que as telas reais sejam concluídas dentro do prazo. Nós não queremos isso também.

Que outras funções se encaixam nessa estrutura de equipe de UX?

Muitas sub-disciplinas e áreas relacionadas de especialização podem participar ou se envolver com uma equipe de UX. À medida que a equipe cresce, as pessoas geralmente podem se especializar em determinadas tarefas e apoiar seus colegas nesses campos. Alguns bons exemplos de outras posições de UX incluem:

  • Arquitetura da informação
  • Copywriting
  • Conteúdo
  • Estrategista
  • Designer gráfico
  • Editores audio visuais
  • DevOps

Isso parece muito, certo? Bem, tudo o que posso prometer a você é o seguinte: será ainda mais complexo com o time de desenvolvedores entrando em cena também!

É por isso que é extremamente importante que a equipe de UX colabore e compartilhe informações com os desenvolvedores desde o kick-off.

Como uma equipe de UX se encaixa em uma organização existente?

A estrutura da equipe de UX também é influenciada pela maneira como a equipe se relaciona com o restante da organização. Se estamos falando de onde o UX está dentro de uma empresa e de sua (s) equipe (s) de produto, há dois modelos básicos. Deixe-me explicar cada um deles:

a) Modelo de agência interna

Uma equipe interna que assume diferentes tarefas de design de produto dentro da organização, essa equipe de UX ficará unida. Eles têm funções fixas e, como qualquer outra agência interna, auxiliam outros departamentos em seus problemas relacionados à experiência do usuário.

Um designer ou pesquisador provavelmente gerenciará tarefas relacionadas a mais de um produto diferente por vez. A separação das equipes de produto pode causar problemas na transferência de informações. No modelo de agência interna, o líder de UX realmente supervisionará a equipe de designers / pesquisadores, mas também tomará instruções dos gerentes das respectivas equipes de produto com as quais estão trabalhando.

b) Modelo interfuncional

Quando uma empresa opera com uma equipe multifuncional, os designers e pesquisadores também fazem parte das equipes de produto, juntamente com PM’s (Gerentes de Projeto), dev e todos os outros. Estes UX-ers dedicam todo o seu tempo a um produto. Esse contato direto com o restante da equipe do produto ajudará a trabalhar de forma mais eficaz e terá uma visão geral de todos os aspectos do desenvolvimento do produto.

No entanto, eles não terão contato direto nem responsabilidades compartilhadas com equipes de UX de outras equipes de produtos. Em empresas que operam com o modelo de equipe multifuncional, os UXs geralmente têm “dois chefes”: o gerente de produto da respectiva equipe de produto em que estão trabalhando, e o designer-líder ou o pesquisador-chefe dirigindo todos os designers / pesquisadores no empresa.

Equipes internas vs. externas?

Já discutimos os modelos organizacionais mais comuns das equipes de UX. Mas também precisamos falar sobre como essas equipes se integram à sua organização. Primeiro, isso depende se você quer uma equipe de UX interna ou externa.

Por que uma equipe interna de UX?

Prós: A equipe se dedica totalmente a você. Você os tem constantemente disponíveis. A comunicação acontece com mais rapidez. Eles têm uma profunda compreensão da cultura da empresa.

Contras: O envolvimento profundo pode levar ao conformismo e a uma abordagem excessivamente cautelosa. Eles representam uma responsabilidade financeira e de recursos humanos completa e precisam de um fluxo constante de trabalho. A burocracia fundamentalmente limita o sucesso da UX.

Por que e equipe externa de UX?

Prós: Eles têm uma vasta experiência e devem manter o contrato, haja o que houver. Eles já têm software e hardware no lugar. Eles vêm com uma visão imparcial, abrindo o caminho para a inovação. Apesar de uma presença inconsistente, eles mantêm os fluxos de informação constante.

Contras: Acabar com a colaboração significa possibilidade limitada de melhorias posteriores. Elas são estranhas à sua organização e a cultura da sua empresa.

Equipes de UX internas e externas podem colaborar?

Claro! Um objetivo comum significa que coisas mágicas podem surgir da cooperação desses dois “super-heróis”. As grandes equipes de UX também podem trabalhar juntas em harmonia.

Como gerenciar equipes de UX?

Quem gerencia uma equipe interna de UX?

O gerenciamento de equipes internas de UX varia de empresa para empresa. Como foi dito anteriormente, muitas vezes os UXers têm dois chefes: o líder de design ou pesquisa da empresa, bem como o gerente de projeto. O Líder de design / pesquisa / experiência do usuário também terá como objetivo ter uma visão geral do trabalho de todos, certificando-se de que ele esteja em conformidade com a consistência e a alta qualidade em toda a organização. Eles também supervisionarão o desenvolvimento profissional, pessoalmente orientarão e organizarão eventos internos para eles. Uma boa maneira de fazer isso é através de sessões críticas de design!

A posição de Design / Pesquisa / UX em uma empresa que opera com o modelo de equipe multifuncional.

O design UX geralmente aparece apenas nos níveis C das empresas maiores. Nestes casos, pertence ao CDO (Chief Design Officer), também chamado de Head of Design, ou VP of Design. Eles supervisionam o projeto em toda a empresa, garantem que ele tenha a alavancagem e os recursos adequados e que as pessoas entendam a mentalidade de design da organização. Eles não projetam nem pesquisam ativamente nada, mantendo um papel mais representativo.

Como gerenciar uma equipe externa de UX?

Quando você contrata uma equipe de UX, todos formam uma equipeda qual os UXers externos fazem parte. Idealmente, a equipe também incorpora um ou mais indivíduos de todos os departamentos envolvidos (proprietários de produtos, desenvolvedores, marketing, vendas etc.) de sua empresa.

Como o product owner pode trabalhar com as equipes de UX?

Como Product Owner, você provavelmente gerenciará a equipe.

Qual é o próximo passo?

Agora você conhece todas as noções básicas de estrutura e gerenciamento da equipe UX. O próximo passo? Ação!

Você deve, de fato, considerar muitos fatores. Você deve ir para uma equipe externa ou interna? O UX e a interface do usuário devem funcionar juntos ou seria melhor integrar a pesquisa e a experiência do usuário? E quem deve liderar esse time?

A razão pela qual nós trabalhamos no estúdio UX da maneira que fazemos é resultado de experimentação e melhorias incrementais. Cada organização é diferente – a estrutura ideal da equipe UX pode variar, mas o fato permanece: o UX é um esporte coletivo. E como as equipes podem ter sucesso? Quando todos os jogadores, todos os ajudantes e todos os que assistem estão sincronizados uns com os outros. 😉

Traduzido e adaptado livremente. Ver Texto Original.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email